O que é educação financeira?

O que é educação financeira?

A realização de sonhos que dependem financeiramente pode ser viabilizada pela educação financeira.

No entanto, apesar de sua importância, a maioria dos brasileiros continua desconsiderando essa informação.

Os brasileiros ocupam um modesto 74º lugar no estudo de 144 nações, atrás de uma série de nações economicamente menos desenvolvidas.

52% dos brasileiros não sabem como fazer planos financeiros e 46% não confiam em sua capacidade de estabelecer metas de longo prazo, de acordo com uma pesquisa separada publicada no Estado.

É verdade que a própria disciplina sobre a educação tem maior influência nos resultados em questões financeiras.

No entanto, pessoas educadas financeiramente tendem não apenas a ser mais disciplinadas, mas também a fazer seu dinheiro trabalhar, pois são mais informadas e esclarecidas.

A ideia de educação financeira e seu significado serão explicados neste texto, juntamente com alguns conselhos práticos para mudar sua relação com o dinheiro.

Veja os assuntos que vamos discutir daqui para frente:

  • O que é exatamente educação financeira?
  • Para que serve a educação financeira?
  • 14 dicas para colocar a educação financeira em prática
  • Pilares da educação financeira
  • Como estudar educação financeira?
    • E quando devo começar a aprender?
  • Livros sobre educação financeira
  • Por que é importante estudar educação financeira?

Siga a leitura, entenda como funciona a educação financeira e encontre a tranquilidade que busca!

O que é exatamente educação financeira?

O processo de aquisição de conhecimento para administrar o dinheiro de forma mais consciente e inteligente é conhecido como educação financeira.

A ideia é que o aprendizado se transforme em comportamentos que resultem no uso mais prudente dos recursos financeiros, resultando em prosperidade.

Pessoas com educação financeira entendem melhor conceitos e produtos financeiros, afirma a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Aqui na FIA, acreditamos que a educação financeira deve ser uma disciplina obrigatória nas escolas, assim como em países como o Japão e a região nórdica.

Sabemos que a educação financeira pode ser estudada nas escolas.

Por que não usar a mesma estratégia no Brasil se funciona nesses outros países?

A seguir estão 14 sugestões para aplicar a educação financeira

Já sabemos o que é educação financeira e suas finalidades.

No entanto, como deve ser usado?

A alfabetização financeira é um processo gradual que pode se desenvolver ao longo do tempo.

Descubra os melhores conselhos e descubra como começar.

1. Faça sua lição de casa diligentemente

Mesmo que você não tenha tempo para pesquisas aprofundadas, crie o hábito de ler blogs relacionados ocasionalmente, além de acompanhar as notícias econômicas.

Lembre-se de que as coisas mudam, então seus melhores ativos hoje podem não ser lucrativos amanhã.

Todos os dias você pode adquirir novos conhecimentos financeiros, mas estudar é sempre necessário.

2. Faça uma planilha

Crie uma planilha de despesas em papel ou computador, como achar melhor, e insira cada despesa.

O aluguel do seu apartamento começa com o café que você toma após o almoço.

3. Faça sacrifícios modestos

Nem tudo o que é benéfico para você e caro é o que estamos pedindo para você abrir mão.

Mas com alguma autodisciplina, é possível reduzir alguns custos e separar uma parte de cada contracheque todos os meses.

4. Crie um hábito de aplicar a cada mês

Pesquise investimentos que rendem mais que a poupança e crie o hábito de aplicar mensalmente parte do dinheiro que economizou.

5. Identifique metas

Procure estabelecer metas, como depositar pelo menos X reais por mês em determinado aplicativo. Além disso, permaneça comprometido com isso.

Calculadoras de juros compostos podem ser usadas para ver quanto dinheiro será ganho após dez anos para ajudá-lo a se manter motivado.

6. Faça bom uso da tecnologia

Para simplificar o controle das despesas diárias, existem muitos aplicativos para smartphones disponíveis.

Assim, fica muito mais simples atualizar sua planilha.

7. Economia

Ao acompanhar os dados registrados no final do mês, dividir as despesas em categorias fornecerá vários insights e permitirá identificar áreas excelentes para corte de custos.

8. Controle de despesas

A plena consciência dos próprios gastos é um requisito para a educação financeira. Para isso, não se deve confiar na memória; em vez disso, eles devem anotar tudo.

A capacidade de somar, subtrair, multiplicar e dividir as variáveis ​​e entender melhor quais hábitos precisam ser controlados é o ponto de partida para tomar decisões mais informadas.

9. Investimentos e Aplicações

Ninguém consegue ter uma vida financeira bem organizada sem poupar dinheiro, como é do conhecimento geral.

O próximo passo é entender os melhores investimentos para aumentar o retorno do seu investimento.

10. Oportunidades e riscos

Como pesquisar opções de investimento envolve buscar as melhores oportunidades, uma parte desse item foi abordada no anterior.

No entanto, essa identificação que estamos discutindo também está ligada à adoção de comportamentos e mentalidades adequados, o que é particularmente verdadeiro para os empresários.

11. Planejamento

Um erro em termos de educação financeira é quando alguém gasta todo o seu salário em um mês.

É fundamental se preparar para o futuro reservando dinheiro para aposentadoria, independência financeira e viagens.

12. Determine as despesas prioritárias

No mundo pessoal, as finanças são organizadas de acordo com o que é prioritário, assim como nas empresas onde a contabilidade é uma despesa fixa.

São necessidades como nossas contas de água, luz e internet, sem as quais não podemos viver ou adiar.

13. Tenha Reserva Financeira De Emergência

Por mais disciplinados e previdentes que sejamos, temos sempre uma certeza: a de que imprevistos acontecem.

Para dar conta de despesas extemporâneas, o melhor a se fazer é manter uma reserva financeira que permita arcar com elas sem sacrificar as despesas prioritárias.

Defina um valor mensal (algo em torno de 10%) e guarde todo mês.

14. Diversifique Seus Investimentos

Nossos avós sempre dizem muito sabiamente para não colocar todos os ovos em uma única cesta. Afinal, se ela vier a cair, todos serão perdidos.

O mesmo vale para os investimentos financeiros que, quanto mais diversificados, menor o risco de perdas, principalmente os de risco elevado, como ações e bitcoins, entre outros.

Afinal, para que serve a educação financeira?

Para poder planejar e lidar com momentos difíceis, a alfabetização financeira é crucial.
A aplicação de tudo o que discutimos até aqui na vida real fica mais fácil com a educação financeira.

Sejamos honestos: quem não economiza dinheiro o faz porque não sabe que é um hábito sábio desenvolver.

Ela pode não ter percebido a extensão do dano que poderia sofrer, digamos, se tivesse alguma despesa inesperada ou perdesse o emprego.

Esse tipo de situação – que embora seja comum, não desejamos para ninguém – leva muita gente a buscar empréstimos ou usar o famigerado cheque especial, que tem juros exorbitantes.

É aqui que começa a bola de neve, da qual é muito difícil se recuperar.

Outra possibilidade é que a pessoa não tenha habilidades organizacionais.

Embora ela só precise administrar melhor seus gastos, ela acredita que o dinheiro que ganha é insuficiente para pagar suas contas.

Ao compreender a ideia de educação financeira, você pode ser mais criterioso ao fazer compras e aplicar a lógica para sacar dinheiro.

Com organização, a pessoa encontra alguns gargalos e pequenos custos que, somados, somam um valor considerável.

Uma espiral ascendente começa a partir desse ponto.

A poupança é investida e começa a gerar mais renda.

Mesmo com essa reserva, a pessoa já adquiriu o novo hábito de administrar suas finanças com mais cuidado e dificilmente voltará à situação de aperto anterior.

O que é então a educação financeira senão uma técnica que tem o poder de mudar a vida de qualquer pessoa?

Os fundamentos da educação financeira

A educação financeira é fundamental para pessoas com contas equilibradas, pois dá orientações sobre como investir o dinheiro para obter o melhor retorno.

Ela é a única opção para pessoas que estão com as finanças descontroladas e com dificuldade para cumprir as obrigações mensais.

Podemos abordar a situação de forma semelhante à construção de uma casa. A fundação deve ser forte para que as paredes, o teto e outras estruturas permaneçam no lugar.

Com o objetivo de orientar como reestruturar as finanças com base em quatro medidas, a metodologia 4 Pilares (4P) foi criada por profissionais da área de educação financeira.

Observar e compreender como funciona a educação financeira e seus princípios norteadores.

Reconhecer

Sem primeiro entender nossa situação atual e nossos objetivos para o futuro, não podemos sair do lugar em que estamos.

Para estabelecer uma ou mais metas, é necessário estabelecer o primeiro pilar, que é avaliar nossa saúde financeira.

Veja a seguinte ilustração simples.

  • Condição: R$ 10.000 em dívida recorrente.
  • Pague essa dívida como seu primeiro objetivo.
  • Meta 2: Manter uma reserva de caixa.
  • O investimento em um negócio é o terceiro objetivo.

Registro

Toda empresa precisa gerenciar seu fluxo de caixa diariamente para manter suas finanças sob controle.

Para saber exatamente para onde vai nosso dinheiro, de onde vem e quanto economizamos, devemos fazer o mesmo em nível pessoal.

Afaste-se da falsa noção de que você deve registrar “off the top”.

Primeiro, não importa quão boa seja, a memória sempre trai, e você não pode correr nenhum risco quando se trata de números tão cruciais.

Além disso, registros escritos ou planilhas mantidas eletronicamente são uma fonte útil de consulta, principalmente ao definir possíveis medidas de corte de custos, conforme necessário.

Análise

Gastar menos do que ganha é um princípio da educação financeira que pode ser considerado fundamental.

O fato de o salário do brasileiro não cobrir todas as suas despesas mensais é uma das reclamações mais frequentes dos brasileiros.

Embora saibamos que os salários médios não são altos, é possível fazer mais com menos se você for disciplinado.

A estabilidade financeira depende dos dois pilares que já abordamos, bem como revisões regulares das despesas para permitir ajustes orçamentários.

Afinal, registrar despesas não adiantaria muito se não checássemos esse registro para descobrir onde estávamos errando.

Se assim fosse, estaríamos apenas registrando indisciplina financeira e todos os esforços de controle seriam inúteis.

Concluir

Podemos adicionar o quarto pilar – realização – aos três anteriores para completar um tripé robusto.

Aqui, os objetivos traçados no primeiro pilar são relevantes.

Você deve ter notado que as metas são sempre progressivas porque se prevê que haverá uma evolução financeira que permitirá às pessoas investir seu excedente além de sobreviver.

Portanto, aqui vai um conselho bônus: mesmo que sua situação financeira seja terrível, sempre tenha em mente suas metas de crescimento, porque é aí que você estará concentrando sua atenção.

Você pode se aproximar dos seus objetivos de vida ao compreender como a educação financeira e seus pilares atuam.

Como Estudar Educação Financeira?

Você está atualmente estudando alfabetização financeira.

Um ótimo recurso para aprender mais sobre isso é a internet.

Existem muitos sites com conteúdo de qualidade, incluindo blogs, canais do YouTube e e-books.

Além disso, existem maneiras de adquirir alfabetização financeira por conta própria, o que permite que você comece imediatamente a elevar seu padrão de vida.

Mas nem é preciso dizer que o estudo independente exige algum autocontrole e discernimento para saber quais sites têm informações confiáveis ​​e quais não.

Algumas pessoas lutam com esse tipo de pesquisa. Existem soluções alternativas, não há problema.

Ao localizar uma escola que ofereça esse tipo de curso, você pode buscar um estudo formal de educação financeira.

Lembrando que, se o objetivo é melhorar a gestão financeira de uma empresa, é recomendável procurar um dos cursos da FIA Business School.

Por fim, existe a opção de contratar um consultor financeiro pessoal.

Para quem deseja alterar completamente sua abordagem de gerenciamento de dinheiro, esta é a melhor escolha.

Tendo em conta o seu perfil e situação financeira, o consultor irá aconselhá-lo de forma personalizada.

As oportunidades que você perdeu e os maus hábitos que você nem sabia que tinha vão te surpreender.

E Quando Devo Começar A Aprender?

Em um sentido filosófico, o presente é tudo o que temos em nossas vidas.

Ao ler essas informações, os adultos devem perceber que chegou a hora de começar a administrar suas finanças.

Os pais também têm o dever de educar os filhos para lidar melhor com o dinheiro, orientando-os em casa e cobrando das escolas iniciativas e atividades nesse sentido.

Por que deixar a chance passar se você pode ter educação financeira e se desenvolver?

Livros Sobre Educação Financeira

Sugerimos a leitura de livros além da internet, aulas e um consultor financeiro pessoal.

Sim, poucas coisas são tão valiosas para a formação de uma pessoa quanto o hábito da leitura.

E não faltam livros que nos instruem sobre alfabetização financeira.

Vamos recomendar três excelentes obras para ajudar aqueles que estão começando no campo.

As contribuições de cada um deles são certas. O vídeo está abaixo.

Pai Rico, Pai Pobre

A publicação de 1997 do livro de Robert Kiyosaki teve mais de 80 edições e milhões de cópias vendidas em todo o mundo.

O uso de uma linguagem direta pelo autor para explicar a necessidade de investir em ativos (que tornam o dinheiro lucrativo) antes de gastar em passivos (que resultam em despesas mais altas) é a chave para esse enorme sucesso.

Casais Inteligentes Enriquecem Juntos

O livro, que já vendeu mais de 1 milhão de exemplares (uma cifra marcante para o mercado brasileiro), é ideal para leitura a dois a dois.

Nele, o consultor Gustavo Cerbasi incentiva os leitores a conversarem sobre finanças com seus cônjuges.

Mostra também que, quando os investimentos são combinados, fica muito mais fácil ter um bom padrão de vida no futuro.

Os axiomas de Zurique

Neste livro, o autor Max Gunther explica como os suíços tornaram sua nação uma das mais ricas do mundo após a Segunda Guerra Mundial.

O autor divide os ensinamentos em 12 axiomas que os investidores que buscam altos retornos em seus investimentos devem seguir.

Por Que É Importante Estudar Educação Financeira?

As vantagens não são apenas para a pessoa que toma conhecimento.

Quanto mais pessoas buscarem educação financeira para si, melhor para a sociedade como um todo.

A taxa de inadimplência diminui à medida que os consumidores se tornam mais responsáveis ​​com seu dinheiro.

Com mais segurança, os empresários podem comercializar seus produtos em condições mais vantajosas.

Pode-se explorar novas opções graças à educação financeira.

Por exemplo, em vez de gastar todo o seu dinheiro em roupas, você também pode investir seu dinheiro em viagens, esportes, cursos de idiomas etc., o que ajuda a criar uma economia mais diversificada.

Além disso, terá melhores oportunidades de gastar dinheiro em desenvolvimento pessoal, melhorando as habilidades profissionais e aumentando o conjunto de habilidades da força de trabalho do país.

As vantagens da educação financeira ficam ainda mais claras quando se trata de empresários.

Com as finanças e a gestão empresarial em ordem, ele pode fazer sua empresa crescer, gerando mais empregos e gerando mais receita para o governo.

Além disso, tenha em mente que as pessoas que se educam sobre suas finanças tendem a espalhar o conhecimento que aprendem.

especialmente quando estamos falando de um pai que é responsável por criar uma família e precisa que todos usem o dinheiro com responsabilidade para manter a paz na casa.

Conclusão:

Esperamos que, a partir de nossas dicas, você consiga mudar seus hábitos para ter uma vida financeira mais saudável.

Ao atingir esse objetivo, terá a segurança de saber que, caso surja alguma necessidade imprevista, haverá dinheiro para resolver o problema.

Para muitos, só o fato de não ter nenhuma dívida pendente é um grande alívio, o que proporciona noites de sono muito mais tranquilas.

Além disso, investir na educação financeira é a melhor maneira de alcançar seus sonhos.

Tem o desejo de dar uma volta ao mundo? Quer uma casa na praia? Ou quem sabe fazer uma grande reforma onde vive hoje?

Tudo isso é possível com uma vida financeira organizada.

Chegando ao final deste artigo, você acaba de dar o primeiro passo, que é se informar e procurar as primeiras dicas.

Anote os conselhos listados acima e pense neles como mantras. É necessário ter disciplina, mas os resultados vão fazer tudo valer a pena.